Acessibilidade

Lei de incentivos à mobilidade urbana sustentável está alinhada com a política adotada em RC, diz Júlio Lopes

ciclismo

Lei de incentivos à mobilidade urbana sustentável está alinhada com a política adotada em RC, diz Júlio Lopes

A mobilidade urbana está na pauta prioritária dos municípios paulistas. Nesta rota, a Assembleia Legislativa (Alesp) aprovou neste ano projeto de lei que institui a política de mobilidade sustentável e incentivo ao uso da bicicleta no Estado. A proposta transformou-se na lei 15.318/2014.

A execução dessa política de mobilidade prevê a promoção de ações e projetos em favor de ciclistas, buscando melhorar as condições para seu deslocamento e segurança; a integração da bicicleta ao sistema de transporte público; e a promoção de campanhas educativas voltadas para o uso da bicicleta.

Diante deste quadro, o vice-presidente da Câmara Municipal, vereador Júlio Lopes esteve na Alesp nesta semana em busca de informações. Com topografia plana, Rio Claro é considerada a Cidade das Bicicletas. “A nossa topografia é privilegiada. Temos em nossa cidade cerca de 150 mil bicicletas utilizadas por trabalhadores, estudantes, esportivas e público em geral”, disse o parlamentar.

Na Alesp, Júlio Lopes sinalizou que em Rio Claro a política de mobilidade urbana voltada aos ciclistas é realidade através de investimentos no trânsito que possibilitaram a criação de ciclofaixas e ciclovias. “Um dos corredores, destinados a ciclistas, conecta vários bairros ao Distrito Industrial, na Avenida Brasil, que concentra número elevado de trabalhadores”, disse. O vereador observou ainda que vias importantes da cidade como a Presidente Kennedy, as Ruas 2 e 6, entre outras que cruzam a área central, também conta com espaços específicos para bicicletas.

A lei estadual estabelece com o objetivos da política de mobilidade sustentável: possibilitar a redução do uso do automóvel em curta distância; estimular o uso da bicicleta como meio de transporte alternativo e sustentável; promover a bicicleta como modalidade de deslocamento urbano eficiente, saudável e ecologicamente correto; incentivar o associativismo entre os ciclistas e usuários dessa modalidade de transporte e estimular a conexão entre cidades, por meio de rotas seguras para o deslocamento cicloviário, voltadas ao turismo e lazer.

Para Júlio Lopes, ao optar pela bicicleta na hora do trabalho ou com destino às escolas, a pessoa gera economia pessoal, levando-se em conta o custo dos combustíveis, proporciona melhora do meio ambiente ao contribuir com a redução de poluentes provenientes dos escapamentos dos veículos e favorece condicionamento físico. “A topografia de Rio Claro possibilita o deslocamento rápido e com segurança já que contamos com ciclovias e ciclofaxias em várias regiões”, finalizou o vereador.

RC conta cerca de 150 mil bicicletas. Número expressivo requer atenção do poder público

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo