Notícias

Alterações no trânsito da Rua M-4 e Avenida dos Estudantes são definidas

1456138_533171116776687_1409956275_n

Alterações no trânsito da Rua M-4 e Avenida dos Estudantes são definidas

Os congestionamentos diários na Rua M-4, trecho que faz a ligação da região do Jardim Primavera com a Estrada do Sobrado, e os acidentes, com vítimas graves e fatais, na Avenida dos Estudantes foram os temas abordados na reunião entre a Câmara Municipal e Secretaria de Mobilidade Urbana com o prefeito Du Altimari na tarde de terça-feira, dia 5. Representantes do Residencial Florença também participaram do encontro no Gabinete do Executivo.

Após ouvir os parlamentares Raquel Picelli, Júlio Lopes e Paulo Guedes, em conversa com o secretário de Mobilidade, José Maria Chiossi, o prefeito definiu a implantação da mão única de direção na Rua M-4. “O tráfego de veículos, ônibus e caminhões neste corredor é intenso. Precisamos tomar uma medida. A Secretaria de Mobilidade vai tomar as providências para que o tráfego na Rua M-4 seja permitido somente no sentido centro-bairro”, disse Du Altimari ao informar que a mudança será implantada em caráter experimental.

De acordo com Chiossi, a alteração no trânsito deverá entrar em vigor em 15 dias. Segundo ele, é preciso, antes, adotar algumas medidas. Entre elas, informar comerciantes, motoristas e moradores da alteração que vai ocorrer. “Também teremos de providenciar a colocação de placas e fazer pintura de solo”, disse o secretário.

Assunto polêmico, o tráfego na Avenida dos Estudantes polemizou a reunião. Na parte inicial do encontro, José Carlos Bruno, do Residencial Florença, apresentou proposta. A preocupação é com veículos que param na faixa de rolamento, sentido SP-191, para convergir à esquerda onde localizam-se o bairro Mãe Preta e novo condomínio residencial. A proposta inclui desvio pela Avenida Rupiara e colocação de semáforos para disciplinar o cruzamento da avenida. “O risco de acidente neste local é grande”, frisou Douglas Gonçalves que preside o Residencial Florença.

Du Altimari ao analisar a proposta apresentada alertou que caminhão com velocidade ampliada pelo desnível do trecho poderia causar tragédia em caso de desrespeito à sinalização, no caso o semáforo.

A proposta de tornar a Avenida dos Estudantes mão única de direção a partir da Rua 16-MP sentido centro e permitir o tráfego inverso, ou seja, sentido SP-191 somente pela Avenida Rupiara, paralela à Estudantes, foi rechaçada por Júlio Lopes. “Não podemos desviar o tráfego pesado da Avenida dos Estudantes para a Avenida Rupiara. Além do risco de acidentes, já que crianças caminham por esta avenida, a pavimentação asfáltica não têm condições de suportar o tráfego pesado”, disse. O vereador completou alertando que a Avenida dos Estudantes não é estrada vicinal. “É preciso disciplinar o trânsito neste local como é feito nas demais vias rápidas da cidade”, defendeu.

Ao levar em conta que a Avenida dos Estudantes, por não ser estrada, está sob a responsabilidade do município, Paulo Guedes defendeu a proibição do tráfego de caminhões no local. “Com certeza, sem os caminhões a situação que hoje é grave vai amenizar. Estaremos resolvendo parte do problema”, observou.

O prefeito acatou a sugestão e determinou à Secretaria de Mobilidade Urbana que providenciasse a retirada do tráfego pesado da Avenida dos Estudantes. A proibição, segundo o secretário Chiossi, será válida para caminhões acima de três eixos.

“Temos de encontrar a solução técnica definitiva para o problema da Avenida dos Estudantes. Vamos, primeiro, proibir o tráfego pesado e com a Comissão de Aprovação de Projetos definir a implantação de rotatória na altura da Rua 16-MP em parceria com a iniciativa privada do setor habitacional”, afirmou.

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo