Água e Esgoto

Vereadores visitam laboratório de calibragem de hidrômetros da Sanasa

1959233_590945944332537_1247166031_n

Vereadores visitam laboratório de calibragem de hidrômetros da Sanasa

Rio Claro, 27 de fevereiro de 2014.

Por conta das reclamações acerca do aumento excessivo da conta de água ocorrida após a troca dos hidrômetros realizada pelo Daae, o vereador Dalberto Christofoletti, a partir da indicação feita pela agência Ares/PCJ, entrou em contato com Maurício André Garcia, coordenador técnico de micromedição da Sanasa, para conhecer o laboratório de hidrometria e ver a possibilidade de se realizar testes nos aparelhos destas residências.

A fabricação, a especificação e a instalação dos hidrômetros obedecem às normas técnicas e portaria dos órgãos responsáveis, que no Brasil são ABNT e INMETRO.

A Sanasa (Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A) mantém um laboratório de hidrometria de acordo com as normas ABNT NM 212/99, NBR 14.005/97 e Portaria nº 246/00 do INMETRO. Dessa forma, a Sanasa oferece às companhias de saneamento que não possuem tecnologia para tal, a oportunidade de inspecionar por amostragem, após a entrega pelo fornecedor, todos os lotes de hidrômetros adquiridos ou até mesmo os que já estão em funcionamento.

Na tarde desta quarta-feira (27), os vereadores Dalberto Christofoletti, Agnelo Matos, Julio Lopes e João Zaine estiveram na sede da Sanasa e visitaram o laboratório de hidrometria a fim de conhecer os procedimentos e todo o processo que envolve a calibragem de hidrômetros.

No caso de hidrômetros em funcionamento, serão três etapas de testes que consistem em verificar a calibragem do hidrômetro sob vazão mínima (15 litros/hora), vazão de transição (60 litros/hora) e vazão nominal (1750 litros/hora). Para que o equipamento seja aprovado, o desvio não pode ultrapassar o valor de ±10% na vazão mínima e ±5% na vazão de transição e vazão nominal.

Professor Dalberto informa que é necessário ter em mãos todas as informações necessárias para saber o que está ocorrendo no caso das residências que receberam contas de água com consumo e valores acima do que aponta a média indicada pela própria Sanasa. “Quando há troca do hidrômetro, segundo a Sanasa, o valor do consumo em média aumenta cerca de 20%. Existem casos em Rio Claro aonde este valor, após a troca, chega a 500%. Devemos conhecer quais as razões que levaram a este aumento”, citou o parlamentar.

Para Julio Lopes, os hidrômetros que estão com suspeita de mau funcionamento devem, sob a supervisão da Câmara Municipal, ser encaminhados a Sanasa para a sua calibragem. “Com a supervisão dos vereadores, o Daae deve retirar os equipamentos e em seguida lacrá-los. Feito isso, será responsabilidade da Câmara Municipal encaminhá-los a Sanasa para que os testes sejam realizados”, informou o vereador.

Para o presidente da Câmara Agnelo Matos, esta iniciativa é necessária para o esclarecimento da situação. “A Câmara Municipal não se furta da sua função fiscalizadora em defesa do interesse público, creio que com estas medidas daremos uma resposta definitiva para a sociedade com relação aos hidrômetros. É uma questão de respeito aos munícipes”, declarou o vereador.

O líder do governo, vereador João Zaine, informa que “é importante que tenhamos em mãos todas as informações técnicas necessárias. Comparar os hidrômetros com suspeita de erro em nosso município com outros das mesmas marcas instalados em outras cidades no mesmo período. A verificação por amostragem de no mínimo 20 hidrômetros deverá ter acompanhamento da Câmara desde a retirada até a calibragem na Sanasa”.

Antes de realizar o teste dos hidrômetros, os vereadores irão visitar o departamento de engenharia hidráulica da USP em São Carlos e colher informações a respeito da rede de água, como é seu comportamento e se ela interfere na medição. “Como os hidrômetros são velocimétricos, devemos saber se o comportamento da rede pode influenciar na medição”, informa Dalberto Christofoletti.

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo