Acessibilidade

Trabalho de inclusão esportiva envolve capacitação de professores e abertura de pólo de treinamento

10003294_612392908854507_2852679898032548637_n

Trabalho de inclusão esportiva envolve capacitação de professores e abertura de pólo de treinamento

Com a bandeira “Esporte de Inclusão – Direitos de Todos”, a Secretaria Estadual da Pessoa com Deficiência, em parceria com as Secretarias de Esporte e Educação, fortalece ações nos municípios. Neste contexto, comitiva de Rio Claro formada pelo vereador Júlio Lopes e pelas coordenadoras da Secretaria Municipal da Educação, Gisele Carvalho e Patrícia Rosalem, esteve na sede da secretaria estadual, localizada no Memorial da América Latina, em São Paulo, reunida com os representantes da pasta Vanilton Senatore e Vinicius Savioli.

Júlio Lopes colocou dois assuntos na pauta: a criação do pólo paradesporto em Rio Claro e capacitação dos professores de educação física da rede municipal de ensino.

Com relação ao pólo paradesporto, Vanilton Senatore explica que a secretaria está na fase final de implantação de 16 unidades em cidades paulistas. Segundo ele, as ações do projeto são desenvolvidas em contraturno escolar e acontecem nas dependências de escolas, associações e clubes. “A secretaria oferece o kit de material e capacita o professor responsável pelas aulas. Para que Rio Claro possa criar um pólo será preciso que o município disponibilize um estagiário para o projeto”, explicou.

O objetivo do pólo paradesporto é utilizar o esporte como meio de inclusão garantindo benefícios para a saúde e igualdade de direitos. “Verificamos que alunos portadores de deficiência eram dispensados das aulas de educação física. A partir deste ponto, desenvolvemos ações para reverter o quadro”, disse Senatore.

As coordenadoras da Secretaria Municipal da Educação questionaram Senatore sobre a faixa etária dos alunos que podem ser incluídos neste pólo. Segundo ele, o ideal é a realização do trabalho com alunos a partir dos 9 anos porém nada impede que o município tenha uma turma de alunos com 8 anos. “O pólo, em seu projeto original, atua com 100 alunos que podem ser divididos em cinco turmas com 20 alunos cada”, disse. “Para que a integração possa ocorrer é importante que o grupo seja composto por alunos que tenham algum tipo de deficiência e outros que não apresentem deficiências”, acrescentou Senatore.

A comitiva informou a Secretaria da Pessoa com Deficiência que Rio Claro conta com quatro opções de locais para a montagem do pólo. O assunto será debatido com os secretários da Educação e Esporte, Heloísa Maria Cunha do Carmo e Reginaldo Breda, respectivamente, para a verificação da possibilidade de se implantar o projeto na cidade.

Na mesma reunião, Júlio Lopes solicitou apoio da secretaria estadual para que os 100 professores de educação física da rede municipal possam receber curso de capacitação para as aulas de educação física voltadas às pessoas com deficiência. De acordo com Senatore, a capacitação é possível a partir do momento que o município oficializar o pedido via a Secretaria Municipal da Educação.

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo