Notícias

Reparos em pavimento esgotado transformam a Avenida José Felício Castelano em um ‘queijo suiço’

Reivindicação antiga, o recapeamento asfáltica em toda a extensão da Avenida José Felício Castellano – que vai desde a região do Centro de Habilitação Princesa Victória até a rotatória que divide os bairros Arco Íris, São Miguel e Mãe Preta – ainda segue no campo dos sonhos para moradores, estudantes e comerciantes. Ao atender solicitação feita por pessoas que utilizam o corredor diariamente, o vereador Júlio Lopes constatou o estado crítico que se encontra a pavimentação asfáltica.

Segundo o parlamentar, a vida útil do asfalto está esgotada não cabendo mais ao poder público fazer reparos através da operação tapa-buracos. Para Júlio Lopes, o recapeamento, com material de qualidade, trata-se da única alternativa para recuperar o trecho que faz a ligação do município com a Avenida dos Estudantes desembocando na SP-191, Rodovia Wilson Finardi, mais conhecida como estrada Rio Claro-Araras.

“Buracos estão por toda parte. Agora, quando chove o quadro piora. Aumenta o número de buracos e os que já existiam ficam mais fundos. Se o motorista não tomar muito cuidado danifica o carro aqui com certeza”, comentou Emerson Denadai.

Para Gustavo Fernandes, a prefeitura precisa investir na Avenida José Felício Castellano o mesmo recurso utilizado no recapeamento do Cidade Nova. “Não entendo, no Cidade Nova onde o número de veículos que utiliza as ruas é bem inferior ao da Felício Castellano o asfalto está um verdadeiro ‘tapete’ e aqui a situação segue caótica”, apontou.

O comerciante Antonio Carlos Bandiera avalia a situação do asfalto como ridícula. Ele, que conta com loja na Avenida Felício Castellano há 14 anos, diz ser prova de que o local recebeu apenas serviços de tapa-buracos. “Em todo este tempo que estou aqui nunca presenciei um serviço sequer de recapeamento asfáltico. O pavimento aqui não tem mais condições de ser utilizado”, afirma. “Quando chove esta região fica toda alagada. Com os buracos encobertos motoristas sofrem”, completou.

734448_421351881291945_1476717665_n

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo