Notícias

Júlio Lopes pede mão única para caminhões no Distrito Industrial

561927_497958023631330_356449286_n 602793_497957943631338_565374990_n 1236488_497958026964663_1135208261_n

Vereador Júlio Lopes quer que se tomem medidas para disciplinar o tráfego de caminhões e carretas no Distrito Industrial
Ednéia Silva

Vereador Júlio Lopes quer disciplinar o tráfego de caminhões e carretas no Distrito Industrial. Para isso, ele solicita a construção de um pátio no bairro para abrigar os veículos que fazem carga e descarga nas empresas. Além disso, ele reivindica o recapeamento asfáltico da Rua M-4, implantação de semáforo e de mão única de direção na via para disciplinar o trânsito.

Essas e outras reivindicações estão sendo feitas pelo parlamentar ao Executivo Municipal. O vereador falou sobre o assunto durante entrevista ao programa Jornal da Manhã, da Rádio Excelsior Jovem Pan, nessa sexta-feira (23). De acordo com Lopes, a desordem no trânsito na Rua M-4 é muito grande. Com a construção de loteamentos residenciais na região, o fluxo de veículos aumentou muito e são necessárias intervenções para melhorar o tráfego na via.

Para isso, o vereador pede a implantação de um semáforo no cruzamento da Rua M-4 com a Avenida M-27. Com relação à mão única, Lopes conta que a solicitação foi feita à Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana e Sistema Viário há três anos, a qual está fazendo estudos para verificar a viabilidade da medida. Além de melhorar o trânsito, Lopes acredita que a mão única irá também beneficiar o comércio da região, pois dará aos consumidores a possibilidade de estacionar na via.

O parlamentar também abordou uma outra questão que causa grandes problemas no trânsito: a falta de calçadas. Segundo ele, o problema atinge toda a cidade, porque a lei que obriga o proprietário a fazer o calçamento não é cumprida tanto no setor público, quanto no privado. Existe um grande número de terrenos sem calçadas, obrigando o pedestre a utilizar a rua para se deslocar, aumentando o risco de acidentes, principalmente para as pessoas com mobilidade reduzida, mães com carrinhos de bebê, deficientes, etc.

No Jardim Vilage, o problema, segundo Julinho Lopes, é o tráfego intenso de caminhões e carretas que danificam o asfalto e tomam conta das ruas, muitas vezes estacionando de forma irregular. Em sua opinião, as empresas deveriam ter pátios para acomodar os veículos e evitar transtornos para os vizinhos. Na ausência disso, uma possibilidade seria a construção de um pátio no Distrito Industrial para abrigar caminhões e carretas, retirando-os das ruas.

Outra medida seria a contratação de agentes de trânsito para orientar os motoristas, indicando rotas de tráfego para minimizar os transtornos. Vale lembrar que a prefeitura já tem cargos criados e concurso realizado para a contratação desses profissionais, no entanto isso ainda não foi feito.

O secretário de Mobilidade Urbana e Sistema Viário, José Maria Chiossi, em entrevistas anteriores ao JC, informou que vem implementando melhorias para melhorar o trânsito na cidade. Uma delas foi a construção da rotatória da Avenida 50-A com Avenida Brasil; construção de nova rotatória e adequação do fluxo de trânsito na Avenida 80-A; duplicação da Avenida 32; implantação de projeto viário na Avenida dos Costas; obra de reestruturação viária no cruzamento da Rua 1 com a Avenida 7; implantação de mais de 14 quilômetros de ciclofaixas; reforma da sinalização de solo; recapeamento, etc.

A secretaria já começou a implementar o projeto de intervenção na rotatória da Avenida 29 e anunciou mudanças no trânsito no balão da Rua 14. Isso sem contar a conclusão da licitação dos radares, que estão em fase de testes para implantação.

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo