Notícias

Câmara Municipal, Fundação de Saúde e Pastoral se reúnem

1425560_537583246335474_840400863_n 1450298_537583249668807_254842732_n

Vereadores, o secretário de Saúde Marco Aurélio Mestrinel, funcionários da FMS e representantes da Pastoral da Saúde se reuniram na manhã desta terça-feira, dia 12, na própria Fundação para debater as reivindicações que estão sendo levantadas pela Comunidade Católica. O encontro foi articulado pelo presidente da Câmara Municipal Agnelo Matos e pela vereadora Maria do Carmo Guilherme. Estiveram presentes também os vereadores João Zaine, Julio Lopes, Raquel Picelli, Professor Dalberto e Paulo Guedes.

Os legisladores municipais enfatizaram que foram desenvolvidas reuniões na Câmara Municipal, abertas ao público, nas quais o secretário prestou contas das melhorias da pasta nos últimos anos e fez esclarecimentos sobre os questionamentos dos vereadores.

Na reunião desta terça-feira, Marco Aurélio Mestrinel fez uma explanação detalhada sobre o funcionamento da Fundação Municipal de Saúde aos membros da Pastoral. Novamente Mestrinel disse que altos recursos são despendidos para pagamento em decorrência de direitos trabalhistas e que não há ilegalidades, apesar de também não concordar com os altos salários. “O que se precisa urgente é da reforma administrativa”, pontuou.

Marco Aurélio Mestrinel enfatizou a importância de investimentos na Atenção Básica, e em relação à construção de um Hospital Municipal, ele diz que é necessário refletir de forma mais ampla e complexa. De acordo com ele, para Rio Claro, neste momento, é mais responsável e viável outra decisão. A ampliação de 11 leitos na Santa casa foi indicada como escolha. “Se eu crio UTIs dentro de um hospital filantrópico quem paga é o Ministério da Saúde. Estamos na fase do projeto para que possamos buscar financiamento para esta benfeitoria”, justifica o secretário.

Nos esclarecimentos foi exposto que a construção física de um hospital nada adianta se não houver recursos humanos e físicos para o funcionamento e que, obrigatoriamente, toda decisão sobre a pasta da Saúde é analisada pelo Conselho Municipal de Saúde. “Não tomo decisões sozinho, tudo passa pelo Conselho, que inclusive possui integrantes da Comunidade Cristã. Por isso digo que os conselheiros precisam de vocês da Pastoral para multiplicar as informações corretas à população”.

O investimento em Atenção Básica, que se referem às Unidades Básicas de Saúde, Unidades da Saúde da Família e Programa da Saúde da Família, foi considerada fundamental para que a saúde em Rio Claro seja aprimorada e tenha melhor qualidade. Este conceito também foi defendido pelos vereadores, que salientaram que aplicando recursos na prevenção, diminui o atendimento em urgência e emergência.

Mestrinel ainda manifestou que a saúde em Rio Claro está avançando e elencou algumas das ações feitas nos últimos como a implantação do Samu, da UPA, novas viaturas, a ampliação e reformas de Unidades Básicas de Saúde, a instalação do laboratório municipal, entre outros. “O Pronto Atendimento do Cervezão não servia nem alimentação aos pacientes, hoje oferecemos quatro refeições com acompanhamento de nutricionista.”

Ao final da reunião, os vereadores presentes propuseram que o poder Legislativo, Fundação Municipal de Saúde e Pastoral da Saúde possam se unir e, em conjunto, debater as questões que envolvem a saúde pública, incluindo a força de mobilização que a comunidade cristã tem. Entre estes pontos, pode-se destacar a transformação do PA em UPA; a colaboração financeira do governo do estado como por exemplo, o repasse de verbas para o SAMU; maior investimento na Atenção Básica e a articulação de reunião com o Provedor da Santa Casa para que além de expor a ampliação dos leitos, também possa mostrar as UTIs e equipamentos que hoje são oferecidos aos pacientes.

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo